quinta-feira, 16 de novembro de 2017

É preciso recomeçar a viagem... Sempre...

A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. Quando o visitante sentou na areia da praia e disse:
“Não há mais o que ver”, saiba que não era assim. O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que se vira no verão, ver de dia o que se viu de noite, com o sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava. É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.
José Saramago em Viagem a Portugal

Porque hoje era o teu aniversário e porque hoje a viagem me surpreendeu


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Dos meio amores...




quinta-feira, 26 de outubro de 2017

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

El otoño... en bucle

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Porque é quase outono...

Dormem os píncaros das montanhas e as ravinas,
os promontórios e as torrentes,
e todas as raças rastejantes que a terra negra alimenta:
as feras das montanhas e a raça das abelhas
e os monstros nas profundezas do mar purpúreo;
dormem as raças das aves de longas asas.

 Nocturno de Álcman, em Poesia Grega. De Álcman a Teócrito, org., trad. e notas de Frederico Lourenço, Lisboa, Cotovia, 2006.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Mmmmm Mmmmmm...



I'll turn the lights low...

terça-feira, 5 de setembro de 2017

shhh...

Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender
Tudo metade
De sentir e de ver…
Não digas nada
Deixa esquecer

Talvez que amanhã
Em outra paisagem
Digas que foi vã
Toda essa viagem
Até onde quis
Ser quem me agrada…
Mas ali fui feliz
Não digas nada.

Fernando Pessoa, em Cancioneiro